PMC Wine & Food sugere as melhores harmonizações entre vinhos e queijos

Sabe aqueles fins de refeições ou tardes com amigos em que decide juntar um vinho da sua garrafeira com um bom queijo que está guardado no frigorifico à sua espera? A PMC Wine & Food, empresa dedicada à comercialização de vinhos nacionais incluindo as suas próprias marcas Malandra e Jaburu, traz-lhe as melhores dicas de harmonizações para que possa saborear esses momentos em toda a sua plenitude.

Primeiro, o mais importante é não sobrepor o sabor do queijo ao do vinho e vice-versa. Desta forma, poderá associar o teor alcoólico dos vinhos à intensidade dos queijos: vinhos com um teor alcoólico mais elevado combinam com queijos mais intensos, já vinhos com um baixo teor alcoólico com queijos mais frescos e delicados. Outra dica importante é que retire o queijo do frigorifico com alguma antecedência, especialmente os de pasta mole. Para surpresa de muitas pessoas, o vinho branco normalmente harmoniza melhor com o queijo do que o tinto. Mas existem mais coisas que deve saber.

 

1-queijo-fresco

Queijos frescos? Vinhos brancos leves e secos

Queijos mais frescos como o queijo Chévre, a Mozzarella ou um queijo de cabra devem ser harmonizados com vinhos brancos, leves e secos. Qualquer vinho da casta Alvarinho, Chardonnay ou Sauvignon Blanc estará à altura deste tipo de queijos

 

2-pasta-semidura

Queijos de pasta semidura? Vinhos brancos, rosé ou tintos leves

Em queijos de pasta semidura como o Gouda ou o Emmental, o vinho branco é novamente o rei. Escolha um branco aromático e jovem com alguma frescura e acidez. Pode também arriscar num vinho rosé bastante frutado ou até mesmo num tinto leve e mais delicado – Merlot ou Pinot Noir.

 

3-pasta-dura

Queijos de pasta dura? Um bom tinto

Os queijos de pasta dura, como o Parmesão ou o Manchego, geralmente estão associados a processos de cura mais prolongados. Com o prolongar deste processo, os queijos vão diminuindo o seu teor em água, tornando-se mais concentrados, ricos e intensos. Essa concentração de sabores associa-se na perfeição com os vinhos tintos, como é o caso das castas Cabernet Sauvignon e Syrah. A nossa sugestão: experimente conjugar um destes queijos com um Late Harvest ou um Vinho do Porto.

 

4-intensos

Queijos intensos? Um vinho envelhecido

Para aqueles queijos que se fazem sentir por toda a casa quando abrimos a porta do frigorifico, como é o caso do Roquefort, do Silton ou do Gorgonzola, sugerimos os Vinhos Madeira ou os Vinhos do Porto. Quanto mais envelhecido for o vinho mais intenso pode, e deve, ser o queijo. Esta conjugação será, de certeza, um final de refeição divinal.

 

 

5-meia-cura

Queijos de meia cura? Vinhos brancos encorpados… com estágio em madeira

Os queijos de meia cura, como é o caso do Camembert, Brie ou Cheddar casam na perfeição com vinhos brancos encorpados e com estágio em madeira. Uma conjugação surpreendente, mas muito apreciada.

 

Se é fã dos queijos tipicamente português, tenha em mente que o Queijo de S. Jorge, devido à sua consistência mais dura e à sua vertente picante, casa bem com um branco aromático, com alguma acidez e frescura, ou com um vinho do porto, seja ele branco ou tawny. Já o Queijo da Serra da Estrela pede um vinho com mais estrutura para fazer frente ao seu teor de gordura. Poderá optar igualmente por um Vinho Madeira ou um Vinho do Porto. Finalmente, o Queijo de Azeitão de pasta semi mole e com um toque picante e untuoso, vai ao encontro de vinhos brancos jovens e frescos ou de um bom espumante.

 

 

Distinções de 2019

Foram sete os vinhos do portefólio PMC distinguidos no Concurso Mundial de Bruxelas, dois conquistaram a medalha de ouro: o tinto-douro Quinta Vale do Bragão Reserva 2014 e o tinto-douro Ariso Grande Reserva 2015. Foram seguidos pelo tinto-alentejano Jaburu 2017 com 84.6 pontos, o branco-regional Malandra Reserva 2016 com 82.9 pontos e o tinto-regional Malandra Reserva 2016 com 80 pontos, três marcas próprias da empresa. O tinto-douro Falgaroso obteve uma pontuação de 82.1 e o tinto-douro Quinta Penedo do Salto Reserva 2015 conquistou 81.5 pontos.

Já a TASTED 100% Blind atribuiu em prova cega uma pontuação de 91/100 ao vinho Quinta Vale do Bragão Reserva 2014, da região do Douro. A degustação, realizada por Andreas Larsson, o melhor sommelier do mundo, foi realizada às cegas em condições ótimas e perfeitamente idênticas a todas as outras provas realizadas pelo mesmo, de forma a garantir que os resultados da degustação são perfeitamente objetivos e confiáveis.